Fábio Assunção pede desculpas após prisão

Para desmontar a implantação do estado de bem estar social, em curso no País após a eleição de Lula à presidência, a Rede Globo de Televisão começou a destilar o ódio nacional e como subproduto deste processo, embeveceu mentes e corações com o fascismo, o racismo, a intolerância e a homofobia.

O episódio da prisão do ator Fábio Assunção em Arcoverde, no interior de Pernambuco, demonstra bem este fato.

Nas redes sociais, no WhatsApp, o vídeo viralizou e alcançou o Youtube e o Facebook.

A associação do ator com a Rede Globo funcionou como estopim. Desiludida com as promessas editoriais do conglomerado de um paraíso após o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, com características de golpe de estado, todos pagam o preço, até mesmo a Rede Globo que colhe do seu próprio veneno com a audiência cada vez mais em baixa e queda abrupta do faturamento.






O Correio Braziliense publicou:

O ator Fábio Assunção foi preso em São João de Arcoverde, em Pernambuco, na madrugada deste sábado (24/6), após se desentender com policiais militares. Ele teria quebrado o vidro de uma viatura e xingado os PMs. Testemunhas contaram que o ator estava embriagado. Há pelo menos dois vídeos circulando nas redes sociais sobre o episódio (veja abaixo).

Segundo informações da Polícia Militar, Fábio havia sido levado para o Hospital Memorial Arcoverde, após ter se envolvido em uma briga no Pátio de Eventos da cidade. Na unidade, ele teria ficado muito agressivo e funcionários decidiram chamar a polícia para ajudar a contê-lo. No entanto, ao chegar ao local, os PMs não encontraram o ator.

A caminho do Pátio de Eventos, a corporação foi acionada por duas jovens que alegaram estar sendo ameaçadas pelo ator. Em nota, a polícia informou que ao tentar levar os envolvidos para a delegacia, Fábio ficou agressivo e se negou a entrar na viatura, "sendo necessário o uso de algemas para levá-lo". Ao ser colocado no camburão, ele quebrou o vidro traseiro do veículo.

Gravações caíram na internet
Vídeos que circulam nas redes sociais mostram momentos diferentes do incidente. Em um deles, populares tentam conter o ator, que parece fora de si. Ele resiste a entrar em um veículo e busca brigar com alguém não identificado. Um homem segura as mãos de Fábio, que não parece ter muitas forças.

Enquanto o ator discutia, é possível ouvir comentários dos moradores da cidade sobre a atitude dele. "Fábio Assunção acabando a festa de Arcoverde. Fábio Assunção passando vergonha. Olha a situação de um ator da Globo."

Fábio Carpinejat publicou no Portal do grupo RBS

"Vergonha do que fizeram com Fábio Assunção"
Fiquei chocado com os vídeos do ator Fábio Assunção estirado no chão e preso em viatura em Arcoverde (PE). Pasmo não por aquilo que ele fez, fora de si, mas pelo deboche de todos à volta, sóbrio e serenos, com consciência para ajudar e que não demonstraram nenhum interesse para socorrer e amparar alguém claramente necessitado e com dificuldades de se manter em pé e articular um raciocínio lógico. Em vez de ajudar, ridicularizavam o profissional em uma fase difícil da vida e apenas aumentavam a sua agressividade. Quem aqui já não bebeu além da conta e falou bobagem? Atiçar um bêbado é armar um circo de horrores, é se divertir com o sofrimento alheio, é renunciar à educação pelo bullying anônimo e selvagem de massa.

Onde está a compaixão do país? O que identifico é que torcemos pela queda de nossos heróis, pelo fim de exemplos. Odiamos silenciosamente aquele que alcança o sucesso. E permanecemos à espreita, como urubus com as asas dos aplicativos, para flagrar um tombo, uma gafe, um vexame da celebridade e espalhar pelos céus turvos da web.

Talvez, infelizmente, desejamos que todo grande artista, como é Fábio Assunção, beije a lona para arrancarmos memes dos bolsos e ganhar notoriedade com gravações caseiras.

Somos cada vez menos afetuosos e mais paparazzi das tragédias individuais.

Não sabemos confortar com a nossa mortalidade quem é também humano, erra, falha e recomeça com a humildade do perdão.

Não vou julgar e tampouco mergulhar em achismos, se ele estava sob efeito de drogas ou não, o que acontecia em sua vida privada para gerar tal descontrole (e, óbvio, que deve ser penalizado por tudo o que cometeu contra a lei, sem distinção).

Mas quem teve um familiar transtornado ou viciado sabe que ele é também uma vítima e que o cuidado e a discrição são os únicos curativos possíveis para não aumentar a vergonha e as recaídas. Expor alguém em situação delicada é ser cúmplice de vandalismo psicológico. Todo celular hoje é uma arma de fogo.

O que lamento é que aquele ator, sempre solícito para selfies e autógrafos, sempre disposto a conversar com qualquer um, não foi carregado pelo público quando realmente esperava. A fama é ingrata, mas triste mesmo é que não procuramos salvar mais a nossa cordialidade.

Redação

#...#

Disqus Comments


© 2017 Aldeia Global TV - Template Created by goomsite - Proudly powered by Blogger