Todos os doodles de Sally Ride

Se visitou o Google esta terça-feira, deve ter visto algum dos cinco doodles no qual aparece uma mulher a flutuar no espaço, a operar um vaivém espacial ou a ensinar ciência a meninas. Esta foi a maneira que a página escolheu para homenagear Sally Ride, a primeira mulher norte-americana a ser enviada para o espaço. Se estivesse viva, a cientista celebraria 64 anos neste dia.

“Como a primeira mulher norte-americana no espaço, Sally Ride capturou a imaginação do país como um símbolo da habilidade das mulheres para quebrar barreiras. (…) Ela também foi uma investigadora em Física, escritora de ciência e defensora da inspiração para manter as crianças animadas sobre o estudo da ciência nas escolas”, explica Tam O’Shaughnessy, companheira de Sally e cofundadora do instituto Sally Ride Science, numa publicação no blogue do Google.

Sally ficou conhecida por ir ao espaço a bordo do vaivém espacial Challenger a 18 de junho de 1983. A astronauta e a restante da tripulação puseram em órbita dois satélites de comunicação, fizeram experiências com fármacos e foram os primeiros a levar dentro do veículo espacial um satélite avariado. Sally foi responsável por operar o braço mecânico durante a operação.

A astronauta retornou à Challenger em 1984 e faria a sua terceira viagem no veículo espacial em 1986, mas um acidente destruiu a nave e vitimou os sete membros da equipa que estavam a bordo, o que inviabilizou aquela viagem especial.

Formada em física e inglês na Universidade de Stanford, a norte-americana costumava brincar aos cientistas quando era criança, segundo conta O’Shaughnessy. Em 1977, estava a ponto de terminar a tese de doutoramento em Física, quando viu um anúncio da NASA a recrutar investigadores para fazerem parta do programa espacial do país – e, pela primeira vez, aberto à participação de mulheres. Sally foi uma das oito mulheres selecionadas pela agência. Antes deste programa, já haviam sido enviadas ao espaço as russas Valentina Tereshkova, em 1963, e Svetlana Savitskaya, em 1982.

“Ao olhar a Terra através da janela de um vaivém espacial, Sally comoveu-se pela vista do nosso planeta azul coberto por um fina camada de ar. Ela percebeu como era importante para todos nós cuidarmos de nosso frágil lar no espaço”, explica O’Shaughnessy.

Sally deixou a NASA em 1987, com um registo de 14 dias, 7 horas e 46 minutos no espaço e dedicou o resto da sua vida profissional ao ensino da ciência, como professora nas universidades de Stanford e da Califórnia. Com a ajuda da sua companheira, fundou o instituto Sally Ride Science em 2001, dedicado ao ensino de ciência sobretudo a meninas, e escreveu sete livros infantis com o objetivo de incentivar o estudo do espaço. A astronauta morreu a 23 de julho de 2012 por complicações de um cancro no pâncreas.

Para a realização dos doodles, o Google convidou O’Shaughnessy para ajudar na criação das animações, de modo a refletir “não apenas o seu trabalho a bordo da Challenger, mas a sua paixão por ensinar ciência e tecnologia às crianças”, explica.

Observatório

Nota do editor da Aldeia: Deu para perceber que 'Vaivém' é tão somente 'Nave' no idioma português de Portugal. Abaixo, todos os doodles e o vídeo do Youtube em homenagem a Sally:







#...#

Disqus Comments


© 2017 Aldeia Global TV - Template Created by goomsite - Proudly powered by Blogger