Dilma chama Lula para inaugurar São Francisco

Chega de tratar o nordestino como sub-brasileiro! Foto: Guilherme Rosa, Blog do Planalto
Na cerimônia de inauguração de um trecho da integração do Rio São Francisco, a Presidenta Dilma Rousseff contou que o Lula queria muito inaugurar essa obra.

A obra de um nordestino que – disse ela- foi expulso de sua terra, Pernambuco, pela seca.

E chegou a São Paulo num pau de rara.

(Urubóloga, sabia que não tem mais pau de arara no Brasil ? Nem miserável retirante, os personagens do “Vidas Secas” do Graciliano ?)

Dilma anunciou que vai levar Lula em dezembro do ano que vem para inaugurar a obra completa.

Serão doze milhões de brasileiros beneficiados: um Paraguai e um Uruguai somados !

Doze milhões de brasileiros que, enfim, vão realizar o sonho de D Pedro II – um sonho de 150 anos !

Porque foi Lula quem teve a vontade política, disse ela, de realizar essa obra monumental.

A transposição se integrará a outras obras – como a adutora do Pajeú, o Eixão das Aguas, a adutora do Algodão – que permitirão que o nordestino conviva com a seca.

O tronco da árvore é a transposição – disse Dilma.

Os galhos são as obras para as comunidades vizinhas.

Porque o rio São Francisco precisa ter vida !

Seria um absurdo o rio ser transposto e as comunidades ao longo dele não terem agua.

O Governo Federal, contou Dilma, começa, por Pernambuco, em Cabrobó, a realizar a obra de levar agua às comunidades próximas à obra.

Só Deus pode impedir a seca, ela disse.

Mas, o nordestino não será mais apanhado pela seca sem proteção.

Dilma tocou num ponto que deixará os tucanos de São Paulo aflitos, como essa deputada que usou a Merkel para esculhambar a Presidenta do país dela.

É a questão de desigualdade regional.

Chega de preterir o Nordeste !

Chega preservar a desigualdade entre brasileiros !, ela enfatizou.

O Governo dela e do Lula reequilibrou a luta.

Ninguém pode começar a corrida com 50 metros de vantagem – os paneleiros da Avenida Paulista estão acostumados a sair com cem metros de frente …

E igualdade de oportunidade, ela disse, significa acesso a creches.

Acesso à universidade.

Acesso a mais médicos.

Acesso à casa própria.

Nesse ponto, ela ressaltou a criação da Univasf, a Universidade Federal do Vale do São Francisco.

E foram essas universidades que ela e o Lula criaram – e o professor de Privataria não criou uma única universidade – que permitiram chegar ao numero que ela mencionou: em 2015, 906 mil brasileiros terão chegado ao ensino superior, através de universidades federais, ou com programas do Governo Federal, como o ProUni e o FIES.

(Aí, os tucanos de São Paulo se estrebucham ! Ter que concorrer com um pau de arara no mercado de trabalho …)

Ela contou que pretende ampliar o Mais Médicos.

E, para ampliar o programa, que já atende 63 milhões de brasileiros !,

63 milhões de brasileiros !

Para ampliar, é preciso formar mais médicos.

E eles serão formados, também, nessas universidade do interior – que a deputada tucana amiga da Merkel não sabe onde ficam…

Em tempo: se fosse em Israel, a transposição do São Francisco daria o Nobel da Paz à Dilma e ao Lula. E o programa de cisternas à Tereza Campello. O New York Times e seus diligentes correspondentes pigais se incumbiram da humanitária tarefa

Paulo Henrique Amorim, Conversa Afiada

Nota do editor da Aldeia: O Planalto divulgou o vídeo abaixo sobre a obra de transposição:

#...#

Disqus Comments


© 2017 Aldeia Global TV - Template Created by goomsite - Proudly powered by Blogger